Blog Animal

Por que meu cão come cocô? Como evitar?

De acordo com teorias evolutivas, carnívoros têm hábito de começar a comer suas presas pelas vísceras, as quais têm presença de fezes. Portanto, comer fezes de vez em quando é um instinto natural e não devemos nos preocupar com isso.

O grande problema é quando esse instinto natural passa para compulsão.

Podemos ter algumas causas para essa COMPULSÃO POR FEZES:

*Alimentação com baixos níveis proteicos.

 *Pouca alimentação  ou  dieta desbalanceada.

 *Algumas rações possuem nível de carboidrato muito elevado ( a grande maioria na verdade), com isso o trato gastrointestinal não digere e absorve eficientemente o alimento, chegando ao intestino grosso grande volume de fezes, atraindo o animal.

*Presença de parasitas gastrointestinais ( que geram deficiências alimentares, alterando absorção de carboidratos, proteínas e lipídeos)

* Insuficiência pancreática  exócrina ( redução das enzimas digestivas produzidas pelo pâncreas).

 *Deficiência de vitamina B1 (tiamina).  A vitamina B1 não é sintetizada pelo organismo do animal e necessita suplementação. Quando deficiente, não ocorre absorção adequada de nutrientes, estimulando a coprofagia ( compulsão por fezes).

*Causas comportamentais

Cães entediados ( que não passeiam, não são estimulados a farejar e gastar energia de forma adequada)  manipulam fezes como passatempo.

Pedido de atenção aos responsáveis, levando o animal ao condicionamento de ingerir fezes.

Punição excessiva quando o responsável encontra fezes em lugares inapropriados pode fazer com que o animal ingira as fezes como comportamento de esconder.

 Ansiedade de separação.

Como podemos fazer para reduzir a compulsão por fezes:

*Primeiramente deve ser descartada qualquer doença no animal. Levar ao veterinário para a realização de exames de fezes e avaliação clínica.

* Cães não defecam onde comem ou dormem ou em lugares sujos, preferem superfícies absorventes e buscam locais com referência de suas defecações anteriores.

*Sempre utilizar comedouros individuais e longe do lugar de defecação.

*Aumentar a frequência alimentar e se necessário utilizar suplementos alimentícios.

*Introduzir a alimentação natural planejada no lugar da ração. A Alimentação natural apresenta teor de carboidrato menor, proteínas de alto valor biológico e maior potência digestória.

 *O enriquecimento ambiental é um bom método para retirada deste comportamento, pois estimula o animal a interagir com objetos. Dentre as formas de enriquecimento, o alimentar apresenta maior sucesso, pois objetiva entreter o animal colocando alimentos escondidos no ambiente ou utilizando brinquedos que possibilitam o alimento ficar dentro.

*Passear diariamente e estimular o farejar.

*Procurar ajuda de um profissional comportamental se mesmo tomando as medidas acima citadas o cão continuar a apresentar compulsão por fezes.

Comparilhar

Deixe uma resposta