Blog Animal

Parem de achar que todo cocô com muco é Giardia

Os organismos do gênero Giardia são protozoários flagelados que podem acometer o trato intestinal de todas as classes de vertebrados.  No decorrer dos anos, mais de 40 espécies foram descritas como pertencentes ao gênero Giardia, sendo a maioria dessas espécies nomeada de acordo com o hospedeiro no qual era encontrada ( G. canis, em cães, G.bovis, em bovinos e assim por diante). Mais tarde o gênero Giardia foi dividido em espécies morfologicamente distintas (Giardia agilis, Giardia muris, Giardia duodenalis ou intestinalis ou lamblia – esse parasito de mamíferos domésticos, selvagens e seres humanos, Giardia psittaci, ardea e microti ).

A elevada ocorrência da G. duodenalis nos cães e gatos, associada ao estreito contato da população humana com os animais de estimação, representa um importante aspecto para a saúde pública em geral, principalmente devido a um possível risco de transmissão zoonótica.

A forma como a Giardia provoca lesões no hospedeiro ainda não está totalmente elucidada. Mas sabe-se que altera a estrutura das vilosidades intestinais, encurtamento dos vilos e microvilos e redução de aproximadamente 50% na superfície da área de absorção do intestino.

A digestão e absorção de nutrientes e líquidos fica prejudicada aumentando a motilidade intestinal.

Os sinais são variados: fezes pastosas, fétidas, com muco, gordura, náuseas, constipação intestinal (intestino preso), dores abdominais, emagrecimento. Ou os pacientes podem se assintomáticos (sem sinais clínicos).

A Giardiase crônica pode causar má absorção de gordura e nutrientes, como vitaminas lipossolúveis (A. D, E, K), vitamina B12 e ferro.

Outro ponto são as ALERGIAS ALIMENTARES encontradas em humanos e animais infectados. Provavelmente devido a maior permeabilidade intestinal observada em casos de Giardiase ocorrendo um aumento no transporte de proteínas e outros alimentos, tornando o hospedeiro mais suscetível a alergias alimentares.

O grande problema que lidamos atualmente é com a frequência de tratamentos para Giardíase ( com vermífugos e antibióticos ) sem ter a certeza do diagnóstico. Diversos tutores e veterinários associam a presença de muco nas fezes com a “certeza” do protozoário.

Parem de achar que todas as fezes que tem muco (aquela ” gelatinazinha”) significa que é Giardia. Esse pensamento nos leva a medicar os animais de forma inadequada. Já administrando vermifugos ou antibióticos sem ao menos ter a certeza da existência da Giardia. 

 O muco pode estar presente nas fezes por INÚMEROS motivos além da Giardia. Vermifugo não previne giardia. Vermifugo pode ter efeito adverso e maléfico. Os tratamentos curativos vão ocorrer buscando as CAUSAS reais. 

 Seguem alguns exemplos de causas de muco excessivo nas fezes:

•Intolerância alimentar

•Disbiose (Desequilíbrio da flora intestinal – MUITO COMUM)

• Uso crônico de medicamentos

• Estresse

•Outras verminoses

• Outras doenças intestinais ou relacionadas ao trato gastrointestinal 

Vamos procurar sempre realizar o diagnóstico correto antes de utilizar medicamentos aleatórios. Dessa forma não pioramos o quadro do paciente e conseguimos atingir a cura muito rapidamente.

 

Comparilhar

Deixe uma resposta