Blog Animal

Castração X Agressividade

A agressividade nos animais não tem uma origem orgânica isolada e, como qualquer outro tipo de comportamento não devemos subestimar as causas: ambiental, emocional (irritação, medo, stress), social, racial e rotina. Um atendimento veterinário de preferência com abordagem comportamental, nestes casos é muito importante, para que a causa da agressividade seja encontrada e melhores orientações sejam passadas.  

FÊMEAS: Existe uma relação entre castração e aumento de agressividade em FÊMEAS da espécie canina. Um estudo de 2005 nos EUA investigou os efeitos da ovário-histerectomia (castração de fêmeas) na reatividade de cães pastores alemães. Foi feito a separação em dois grupos. Os comportamentos sendo gravados digitalmente em vídeo 4-5 meses após a castração e analisados.
.
CONCLUSÃO DO ARTIGO: As fêmeas do grupo ovario-histerectomizado mostraram mais reatividade, e os escores médios de reatividade foram maiores no grupo da ovário-histerectomia em comparação com os do grupo sexualmente intacto. A castração de cadelas da raça pastor alemão de 5 a 10 meses de idade, especificamente, e talvez cadelas de qualquer raça em geral, podem induzir um aumento na reatividade. Os profissionais podem se beneficiar ao reconhecer que uma série de mudanças comportamentais podem ocorrer após a castração em fêmeas.
.
OBS: Esse aumento de agressividade possivelmente é devido ao decréscimo nas concentrações de estrógeno, progesterona e ocitocina, substancias com possíveis efeitos ansiolíticos em algumas espécies. O que pode gerar medo, em algumas situações, levando a agressividade.
.
MACHOS: As evidências mais consistentes mostram que com a castração a mudança MAIOR seria a REDUÇÃO da agressão dirigida a cães. Foi visto também que é pouca a mudança em relação ao comportamento de agressividade a outras pessoas e dominância, o animal pode inclusive continuar marcando território, principalmente se este animal conviver com outro macho.

Os hormônios sexuais vão ALÉM das funções reprodutivas. Considerar a raça e espécie, acompanhar os estudos científicos, saber se o animal apresenta alguma patologia no momento e se o tutor se comprometerá de fato com uma adoção responsável são algumas das particularidades para que possamos tomar a decisão de indicar a castração ou não!

Esta postagem tem o intuito de reforçar a importância da ATUALIZAÇÃO dos colegas veterinários para o tema: CASTRAÇÃO PÓS E CONTRAS.

AUTORIA: Dra Lys Alves – Medica veterinária integrativa e sistêmica com dedicação ao diagnóstico e terapia de transtornos comportamentais em cães e gatos. Mais detalhes sobre suas áreas de atuação na aba “Equipe” aqui no site. 

REFERÊNCIAS:

  1. Desexing Dogs: A Review of the Current Literature. Urfer, S.R.* e Kaeberlein, M. Animals (2019)
  2. Effects of ovariohysterectomy on reactivity in German Shepherd dogs. Hyeon H. Kim. Seong C. Yeon. Katherine A.Houpt. Hee C.Lee. Hong H. Chang. Hyo J.Lee (2006)
  3. Questions and answers on the effects of surgically neureting dogs and cats. Johnston SD. Journal of the american veterinary medical association. (1991)

Comparilhar

Deixe uma resposta